Pilha de cadernos

4 super tendências da Engenharia de Software para sua empresa

Updated: Apr 13


Mesmo com todos os avanços tecnológicos que ajudaram a colocar empresas no mapa, sejam StartUps ou empresas tradicionais e com décadas de história, como a grande variedade de sistemas e serviços em nuvem, é certo dizer que ainda existe um limbo referente ao futuro dessas organizações. Isso porque não há engenheiros de softwares full-time suficientes para suprir a demanda geral do mercado, conforme apontam estudos da IDC.

E a pandemia não facilitou as coisas. Para adaptar os negócios ao novo ritmo, grande parte das empresas aderiram ao modelo híbrido de trabalho, refletindo expressivamente no aumento do número de tecnologias necessárias para suportar a demanda.

Mas calma, ainda há esperança. Seguindo os pilares da Engenharia de Software - experiência do desenvolvedor, automação do fluxo de trabalho, segurança, conformidade, implantação e operação do serviço, descobrimos as 4 tendências de desenvolvimento que prometem ser o verdadeiro destaque em 2022.


Por dentro das 4 tendências de Desenvolvimento de Software

1. DevSecOps

Por mais avançada que seja a tecnologia usada dentro da sua empresa, a cibersegurança ainda permanece firme e forte na mira dos profissionais de TI, pois nós sabemos a dor de cabeça que um mero deslize pode causar. Os dados são valiosos e não é por menos que existe um constante ataque de agentes mal intencionados que tentam roubá-los. Esse cenário por si já nos permite entender o aumento na busca por DevSecOps.

Temos visto cada vez mais CISOs e CIOS preferindo a criação de novos aplicativos web e móveis em plataformas que permitem o gerenciamento de cada estágio de desenvolvimento e entrega de aplicativos. Dessa forma, espera-se promover e facilitar para os times de desenvolvedores a criação de códigos mais seguros e poderosos, sem precisar depender de metodologias de teste de segurança.


2. DesignOps

As práticas de DesignOps já eram conhecidas pelos profissionais que trabalham e estudam o UX, onde é possível ver a colaboração de profissionais de design e desenvolvedores front-end para criação de aplicativos com layout intuitivo e funcional desde a primeira entrega, assegurando a consistência e usabilidade do produto.

Para empresas que ainda não levavam essa modalidade a sério, foi surpreendente ver a influência do design de produto na experiência de funcionários e parceiros. Tudo porque os sistemas tornam-se ainda mais intuitivos, de fácil aprendizagem e aumentam o ganho de agilidade nos processos internos da organização.


3. Plataformas Nativas da Nuvem

O uso de aplicativos de nuvem de nicho está em ascensão e garantindo mais liberdade para que pessoas possam construir suas próprias ferramentas digitais ao invés de comprá-las prontas.

Que a verdade seja dita: ter que contar com o apoio de dezenas de sistemas para concluir o processo não é lá das melhores experiências. Quando um não funciona bem, parte do processo fica comprometido, causando atrasos, impactando em outros departamentos e gerando muita dor de cabeça, principalmente quando o acesso também é feito pelo cliente.

Como solução, vemos desenvolvedores de negócios cada vez mais preocupados em utilizar aplicativos nativos da nuvem. Em primeiro lugar, seguido pelo ganho de agilidade, a melhoria da experiência e o aumento da produtividade.

Esse objetivo só será alcançado quando o time de desenvolvedores permanecerem totalmente focados no gerenciamento de fluxo de valores, sem precisar usar todo seu tempo útil e esforço em gerenciamento de infraestrutura. A empresa só tende a ganhar, aproveitando melhor os talentos de cada colaborador.


4. Low Code para Profissionais

Essa grande necessidade de desenvolver novos sistemas ou aplicativos e aliviar o débito técnico existente mudou um pouco as coisas no universo da engenharia de software, especialmente nos últimos dois anos.

Muitos ainda acreditam que as máquinas e a inteligência artificial vão substituir e acabar com o ‘ganha-pão’ de muitos desenvolvedores. Na verdade, a solução de baixo código só tende a melhorar e facilitar a experiência no desenvolvimento de software, já que ela elimina a barreira que mais interfere no processo de escala: a complexidade para criar apps e sistemas.


Soluções low code e no code, como a Decisions, refinam o processo de desenvolvimento e dá maior liberdade aos colaboradores, mesmo aqueles que possuem menor conhecimento em tecnologia, como o time de negócios. Assim você abre um novo caminho para a expansão dos negócios, aumento da competitividade comercial, elaboração de sistemas cada vez mais complexos e apoiando em tecnologias como IA e RPA.


Explore mais sobre a força das soluções de baixo código dentro das empresas. Com a Decisions você pode mais, e você pode tirar insights incríveis sobre o uso dela em sua empresa lendo esse artigo.