Pilha de cadernos

Por dentro das previsões do Gartner para 2022 para hiperautomação

Updated: Apr 13

Uma das principais tendências tecnológicas estratégicas do Gartner para 2022, a hiperautomação – a abordagem disciplinada que as empresas usam para automatizar seus diversos processos de negócios e de TI – é algo em que todos estamos prestando atenção no momento. Em janeiro, o Gartner divulgou suas previsões de 2022 para hiperautomação e nós vamos avaliar o que elas significam para as empresas à medida que começam a tomar decisões críticas de tecnologia neste novo ano.

As quatro previsões do Gartner incluem o seguinte:

1 - A importância da governança. Até 2024, uma abordagem em silos para iniciativas de hiperautomação aumentará em 40 vezes o custo total de propriedade específico da iniciativa, tornando a governança adaptativa um fator diferenciador no desempenho financeiro.

2 - Um foco maior na composição. Até 2024, o crescimento dos mercados de automação impulsionará 80% das grandes empresas a adotar princípios de composição, minimizar as independências operacionais e maximizar o valor de suas iniciativas de hiperautomação.

3 - Um impulso para o agnosticismo do fornecedor. Até 2024, a falta de padronização e uniformidade nas estruturas de preços dos fornecedores continuará levando 40% dos clientes a aumentar os recursos de negócios independentes de fornecedores de hiperautomação.

4 - Um aumento nos provedores de serviços de hiperautomação gerenciados. Até 2024, 40% das organizações usarão ofertas de hiperautomação de provedores de serviços gerenciados para preencher lacunas nas operações de infraestrutura, fortalecendo uma base para o custo total de propriedade (TCO) e automação em escala.

O caos na corrida por eficiência e otimização

Primeiro, é importante observar que a força motriz por trás da maioria dessas previsões é o aumento maciço na adoção da automação que ocorreu nos últimos anos. O crescimento nessa área tem sido forte por si só, mas a pandemia acelerou bastante a adoção, com alguns analistas do setor dizendo que a aceleração foi acelerada em até três anos.

Um segundo fator por trás dessas quatro previsões é o fato de que as empresas não estão adotando tecnologias de automação de forma centralizada e ordenada. Em vez disso, vários grupos dentro das organizações estão automatizando as coisas por conta própria e selecionando suas próprias tecnologias para fazê-lo.

Em conjunto, isso significa que as empresas estão criando ambientes dispendiosos e desconectados que as impedem de capitalizar os investimentos feitos em um esforço de automação com o próximo esforço de automação, bem como o próximo e o próximo. Ao mesmo tempo, ninguém quer desacelerar. Na verdade, como parte da pesquisa do Gartner, eles descobriram que a maioria das empresas iniciou entre quatro e dez projetos de automação simultâneos apenas nos últimos doze meses.

Isso não é incomum. De fato, a história mostrou que em todo mercado em rápido crescimento ocorre um acúmulo de projetos desconectados. Então, um foco em gerenciamento e redução de custos se estabelece para lidar com o caos que foi criado, seguido de perto por um foco em eficiência e otimização.

Foco em custo e preço

Alguns fornecedores no mercado com recursos relativamente novos e limitados afirmam que tudo pode ser automatizado com suas soluções. Embora isso não seja totalmente falso, a chave é entender até onde essas soluções podem ir e quão maduras elas são para casos de uso específicos.

Na verdade, grande parte da complexidade de um grande produto de automação é a capacidade não apenas de executar um processo, mas de lidar com as regras, as variações no processo, a capacidade de encontrar lacunas no processo e a capacidade de prever onde os problemas ocorrem. Grande parte da variação de custo que vemos no mercado hoje está diretamente relacionada à função e à maturidade do produto.

Por fim, vamos dar uma olhada na última previsão: o aumento dos serviços gerenciados de hiperautomação. Essa previsão gira em torno da questão de a TI ser capaz de fornecer serviço com rapidez suficiente, bem como a própria solução ser capaz de escalar para atender à necessidade em questão. Muitas empresas cometem o erro de focar nas coisas erradas, como adicionar novos tipos de interação com o cliente ou agregar muitos dados para fazer coisas como a próxima melhor ação. Essas coisas podem ser poderosas, mas poder se concentrar no cliente, em vez de manter sua tecnologia, é o verdadeiro diferencial que os serviços gerenciados fornecem. Os serviços gerenciados oferecem às empresas a oportunidade de se concentrar em melhorar seus relacionamentos com clientes e otimizar interações e processos, em vez de como eles executam e mantêm seu software.

Dentre essas previsões, pense no que você precisa automatizar e como as tendências mencionadas acima podem afetar seus negócios. Saiba que a Decisions, além da plataforma de automação no-code que entrega aplicações digitais baseadas em processos de ponta a ponta, também está presente no cenário da hiperautomação, pela agregação das tecnologias de Process Mining e RPA (Robotic Process Automation), sendo a primeira plataforma completa de Intelligent Process Automation (IPA) na América Latina e Central.